Pesquisar
Agenda
setembro 2017
S T Q Q S S D
« ago    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Arquivos

Arquivos da categoria ‘Proclamação’

dia-da-proclamacao-da-republica

sete-erros

enigma

cruzadinhamarechal-deodoro

foto marechal

Marechal Deodoro da Fonseca

Em 1889, os fazendeiros de São Paulo e Minas Gerais, na época as pessoas mais ricas do país, resolveram liderar um movimento republicano.

No dia 15 de novembro, tropas militares saíram às ruas. A princípio, parecia apenas um desfile ou uma passeata militar, sem maiores consequências. Mas o grupo invadiu o Palácio do Catete, onde se encontrava o imperador dom Pedro 2º e toda família real.

Lá dentro, o marechal Deodoro da Fonseca proclamou a República, tornando-se o primeiro presidente do Brasil. No dia 17, dom Pedro 2º e sua família foram obrigados a ir para Paris, capital da França, onde o ex-imperador morreu em 1891.

evento

Hino da Proclamação da República

Seja um pálio de luz desdobrado,

Sob a larga amplidão destes céus.

Este canto rebel, que o passado

Vem remir dos mais torpes labéus!

Seja um hino de glória que fale

De esperanças de um novo porvir!

Com visões de triunfos embale

Quem por ele lutando surgir!

Liberdade! Liberdade!

Abre as asas sobre nós,

Das lutas na tempestade

Dá que ouçamos tua voz

Nós nem cremos que escravos outrora

Tenha havido em tão nobre País…

Hoje o rubro lampejo da aurora

Acha irmãos, não tiranos hostis.

Somos todos iguais! Ao futuro

Saberemos, unidos, levar

Nosso augusto estandarte que, puro,

Brilha, ovante, da Pátria no altar !

Liberdade! Liberdade!

Abre as asas sobre nós,

Das lutas na tempestade

Dá que ouçamos tua voz

Se é mister que de peitos valentes

Haja sangue em nosso pendão,

Sangue vivo do herói Tiradentes

Batizou neste audaz pavilhão!

Mensageiro de paz, paz queremos,

É de amor nossa força e poder,

Mas da guerra, nos transes supremos

Heis de ver-nos lutar e vencer!

Liberdade! Liberdade!

Abre as asas sobre nós,

Das lutas na tempestade

Dá que ouçamos tua voz

Do Ipiranga é preciso que o brado

Seja um grito soberbo de fé!

O Brasil já surgiu libertado,

Sobre as púrpuras régias de pé.

Eia, pois, brasileiros avante!

Verdes louros colhamos louçãos!

Seja o nosso País triunfante,

Livre terra de livres irmãos!

Liberdade! Liberdade!

Abre as asas sobre nós!

Das lutas na tempestade

Dá que ouçamos tua voz!